Por onde começo meu jogo? - Sherlock S.A.

Por onde começo meu jogo?

16 de Fevereiro de 2018

E aí investigadores! Hoje nosso assunto é sobre uma decisão que assombra a todos: por onde devo começar a criar meu jogo?

Já participei de alguns podcasts e ministrei alguns workshops sobre criação, e essa pergunta sempre vem à tona!


O Início

O início é complicado, é quando você tem as ideias, mas não tem um ponto de partida. Aí sempre me perguntam se é melhor começar pela mecânica ou pelo tema do jogo. E eu sempre respondo que o ideal é não ter isso como uma regra, pois não importa por qual você começa, o importante é que comece.


Existem jogos abstratos que são fenomenais, como o recém-lançado ‘Azul’. Além de belíssimo, sua mecânica é o que chama a atenção. Porém tem jogos que o tema é tão legal, que se destaca mais, e a mecânica vira a cereja do bolo. É esse conjunto que torna o jogo muito bem conceituado.


O que tenho a dizer é que a mecânica é muito importante, porque é ela que vai fazer a pessoa jogar, re-jogar e falar bem do jogo. O tema complementa deixando ele mais atrativo, mas mesmo assim jogos abstratos também conseguem se destacar.

Para complementar, algumas palavras de meu amigo Thiago Mello, criador do Pélaghos, e grande amigo pessoal.

O tema é um chamariz comercial que pode chamar atenção de um tipo de grupo ou pessoas fora do hobby. A mecânica mantém ele vivo dentro do nicho.


Então posso começar?

Recentemente minha esposa também começou a se aventurar nas criações e estou dando uma força. Por ela estar começando, acaba fazendo uma salada de frutas. Junta um monte de ideia com o tema e mecânicas, e assim como acontece com todos nós, em nossa cabeça é tudo lindo e tudo funciona.

Mas não é bem assim. Sempre digo para ela pensar em um propósito, num objetivo, e o que deve ser feito no seu jogo... e trabalhar em cima disso.


“No meu jogo, um grupo de aventureiros tem que resgatar as esferas mágicas de um dragão que realiza desejos.”

Certo, você tem seu objetivo e de certa forma tematizado, mas como vai ser o jogo?


“Será um jogo onde os jogadores têm que se ajudar para conseguir atingir esse objetivo.”

E como eles vão se ajudar? Quais suas ações? Como vão realizar o objetivo? Vai usar um tabuleiro modular?


Muitas dessas perguntas não podem ser respondidas logo no início, portanto é bom focar em criar inicialmente uma base para seu jogo, da qual tenha um objetivo e que fique claro o que deve ser feito para atingi-lo. A partir daí você deve testá-lo e aprimorá-lo. Você irá refazer muitas de suas ideias nesse percurso, mudar, apagar e criar novas ideias, isso faz parte.


Então vamos resumir:

- Comece o jogo, não importa se vai pensar no tema ou na mecânica primeiro.

- Pense no objetivo.

- Descreva como você o imagina.

- Comece a criá-lo formando o básico.

- Teste.

- Aprimore-o.

- Continue sempre.


É isso aí galera, espero que tenham gostado. Dúvidas, sugestões ou ideias nos envie um e-mail (contato@sherlocksa.com.br) ou comente nesse post.

Até mais investigadores.

Thiago Henrique Ferri


Sherlock S.A.
contato@sherlocksa.com.br

Rua Palmas,580
Francisco Beltrão - PR
85605-060

Todos os direitos reservados a Sherlock S.A.